Erva de Santa Maria – 7 Benefícios, Como Preparar e Contraindicações

Também conhecida como mastruz, a erva de Santa Maria consiste em uma poderosa aliada natural para o fortalecimento do organismo e combate inúmeras doenças.

Para saber quais são os benefícios que ela oferece para a saúde e também como consumi-la no dia a dia, fique de olho no nosso artigo.

 

erva-de-santa-maria

 

7 Benefícios da Erva de Santa Maria

1 – Combate os vermes

Um dos principais usos desta planta consiste no combate aos vermes. Tanto por meio do chá quanto do suco, é possível obter excelentes resultados para limpeza dos parasitas intestinais que afetam sobretudo as crianças.

Por este motivo, há décadas atrás, essa erva se tornou muito utilizada e conhecida nas regiões mais pobres do Brasil, principalmente do Norte e Nordeste, mais castigadas pela falta de saneamento básico e atendimento médico especializado.

Publicidade

2 – Regula o intestino

Entre os benefícios desta planta destaca-se o papel que ela desempenha na saúde intestinal, já que ela evita a constipação, prisão de ventre e demais problemas relacionados ao intestino lento.

Inclusive, o consumo moderado dessa planta contribui para evitar doenças intestinais mais graves, como por exemplo infecções e até mesmo câncer nessa região do corpo.

3 – Combate doenças respiratórias

O consumo regular desta planta é altamente eficaz para prevenir e tratar doenças respiratórias tais como gripes, resfriados fortes, tosse e até mesmo bronquite, pneumonia, asma e tuberculose.

Exatamente por esta razão, a batida dessa planta com leite costuma ser dada para crianças que ficam doentes com uma certa frequência.

4 – Fortalece as defesas imunológicas

As substâncias contidas na erva de Santa Maria são de grande ajuda para as defesas naturais do organismo, tornando-o mais resistente à perigosa ação das bactérias, vírus e fungos responsáveis por causar diversos tipos de infecções, das mais leves às mais graves.

5 – Auxilia no tratamento de úlceras estomacais

Além dos diversos benefícios apresentados, esta planta tão conhecida no Brasil auxilia bastante no tratamento de úlceras ocorridas no estômago, agindo tanto no alívio da dor quanto na causa da doença, que consiste numa severa inflamação.

6 – Ajuda na cicatrização de feridas

Também com relação às feridas na pele, essa erva é de grande ajuda, já que ela atua na higienização e favorece a cicatrização.

Além disso, o chá desta planta contribui para aliviar o desconforto causado por picadas de insetos.

Publicidade

7 – Ajuda combater as cãibras

Sobretudo para pessoas que praticam atividade física com frequência, o consumo (moderado) desta erva é indicado, já que ela atua no combate às cãibras decorrentes do excessivo esforço físico.

Como Preparar a erva de Santa Maria?

De forma geral, existem três maneiras de consumir esta erva, que são:

  • Chá ou infusão (que poderá ser ingerido ou aplicado na pele);
  • Sucos/vitaminas preparadas com a planta.

Receita do chá de erva de Santa Maria

Itens necessários

  • 2 colheres (sopa) de erva de Santa Maria;
  • 1 litro de água.

Como fazer

  • Em um recipiente, colocar a água juntamente com a erva e levar ao fogo;
  • Assim que a água começar a ferver, desligar o fogo e abafar a mistura, deixando-a descansando por cerca de 10 minutos;
  • Coar e beber no decorrer do dia sempre em temperatura ambiente.

Receita de vitamina com a erva de Santa Maria

Itens necessários

  • 2 folhas de erva de Santa Maria fresca;
  • 1 copo (300ml) de leite gelado.

Modo de fazer

Colocar todos os ingredientes no liquidificador e bater até que a mistura fique bem homogênea. Beber ainda gelado.

Além do chá e da vitamina, é possível acrescentar a erva no preparo da comida, contribuindo também para a saúde do organismo.

Contraindicações desta planta

Embora esta erva ofereça diversos benefícios para a saúde, o uso dela não é indicado para algumas pessoas, que são:

  • Mulheres com gravidez confirmada ou suspeita (já que ela tem propriedades abortivas);
  • Lactantes (mulheres que estão amamentando);
  • Crianças menores de 2 anos;
  • Mulheres que estão fazendo tratamento para engravidar (pois esta planta pode causar infertilidade);
  • Pessoas que apresentam hipersensibilidade (alergia) a esta planta.

Efeitos Colaterais

Quando consumida de forma inadequada ou em excesso, esta planta pode causar alguns dos seguintes efeitos colaterais:

  • Aborto;
  • Dor de cabeça;
  • Problemas respiratórios;
  • Problemas cardíacos.

Recomendações Extras

Além dessas contraindicações, é importante ressaltar que o uso contínuo desta planta não é recomendado. O motivo disso é que em excesso, o consumo dela pode apresentar efeitos tóxicos, náuseas e até mesmo convulsões.

No caso de pessoas que sofrem algum tipo de problema de saúde, é indispensável informar ao médico sobre a possibilidade de consumir esta erva.

Curiosidades sobre a erva de Santa Maria

  • Umas das características marcantes desta erva consistem no aroma e sabor fortes, chegando a ser considerado um tanto desagradável.
  • O nome científico desta planta é chenopodium ambrosioides.
  • Esta planta tem suas origens no México, onde até hoje é muito consumida pela população em geral.
  • O uso desta planta tornou-se bastante comum principalmente nas regiões mais pobres do Brasil, especialmente Norte e Nordeste.
  • O pé desta planta pode chegar a atingir até 1 metro de altura.
  • A planta se desenvolve com facilidade em locais como barrancos próximos a lagos ou rios, canteiros de flores, terrenos baldios, hortas etc. Ou seja, ela é de fácil cultivo e adaptação ao solo.
  • A erva de Santa Maria já era há milênios utilizada pelos povos astecas que habitavam a América, sendo o uso dela direcionado principalmente como vermífugo e para prevenir e tratar doenças respiratórias.
  • A partir de meados do século 18, esta erva passou a ser empregada no tratamento natural de desmaios, reumatismo, queimaduras e tifo (uma doença muito comum da Europa, ocorrida inclusive durante a Segunda Guerra Mundial).

Composição da planta

Os principais elementos químicos desta erva são: Vitamina C, carotenoides, óleos essenciais, ácido oleico, ácido palmítico, compostos flavonicos, ascaridol, ácido linoleico, cis-p-mentha, 8-dien-2-ol e proteínas.

Todas essas informações demonstram porque a erva de Santa Maria é tão utilizada e apresenta resultados tão eficazes na prevenção e diversos problemas de saúde, sendo um dos recursos naturais mais utilizados desde os povos mais antigos até o momento atual.

 

 

 

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Publicidade

Leia também:


Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*