Remédio Caseiro para Pedra na Vesícula | Tratamento Natural

O fígado produz a bile, e a vesícula a concentra. A bile é um líquido de cor amarelo-esverdeada, alcalino e extremamente amargo. Uma refeição rica em gordura exige trabalho redobrado da vesícula, que deve despejar no intestino quantidade suficiente do “líquido amargo”. Sua função é, portanto, armazenar e concentrar bile para a demanda do processo digestivo. Antes de estudarmos os Remédio Caseiro para Pedra na Vesícula, veremos suas causas.

Como se formam os cálculos

A vesícula é capaz de absorver quantidade extraordinária de água a fim de concentrar a bile. E nesse- processo de concentração que podem ocorrer alterações de solubilidade e precipitação de substâncias, com a formação de conglomerados sólidos. A bile é formada principalmente de sais biliares, fosfolipídio, mucina, pigmentos e colesterol.

E o fosfolipídio (lecitina) que deve manter, no líquido biliar, o colesterol em solução. Quando o teor de fosfolipídio diminui e/ou o de colesterol aumenta, podem ocorrer precipitações semelhantes à areia. Os grãozinhos tendem a unir-se e formar cálculos de variados tamanhos. Há casos de cálculos enormes, de vários centímetros de diâmetro. Há também casos de vesícula policalculosa, ou quase totalmente tomada por inúmeras pedras de tamanhos pequeno e médio.

Os cálculos são, portanto, na maioria das vezes, formados por colesterol, bilirrubina (pigmento) e sais biliares. Apresentam coloração cinzenta e amarelada, e consistência dura. Quando predomina a bilirrubina, as pedras desmancham-se facilmente, como terra, e têm coloração escura.

Quais as causas?

Muitas pessoas são portadoras de cálculo na vesícula. Talvez a maioria dessas pessoas não tenha conhecimento disso. A colelitíase, nome que os médicos dôo à calculose da vesícula, pode passar despercebida durante toda uma existência. Mas quando resolve incomodar, é para valer.

O que produz as mudanças de concentração na bile e a conseqüente precipitação de areia ainda é objeto de muita especulação. Alguns estudiosos culpam a má alimentação (com muita gordura e açúcar) e certos fatores radais e climáticos. A incidência em mulheres chega a ser cinco vezes mais alta que nos homens, por motivo ainda desconhecido.

 

Pedra na Vesícula

 

Os estudiosos do naturismo alimentar culpam principalmente a alimentação. Referem estatísticas que acusam alta taxa de incidência em populações que consomem muita gordura animal, como sul do Brasil e Argentina. Psquisas também mostram que, quanto maior o consumo de carne, tanto maior a incidência de cálculos biliares. Povos com dieta total ou parcialmente vegetariana, como os indianos e os japoneses, sofrem menos de cálculos biliares.

O excesso de açúcar, na forma de guloseimas, bebidas açucaradas e massas, também é apontado como causa de problemas de vesícula. Pode desencadear mal-estar digestivo crônico denominado “dispepsia biliar”.

Opinião dos estudiosos da vida natural

A alimentação moderna é em grande parte culpada pelo surgimento de cálculos. Pelo menos por três razões nossa comida se responsabiliza pela quase totalidade das doenças crônicas:

  • Excesso de alimentos acidificantes, que produzem pH sangüíneo sutilmente abaixo do nível fisiológico, ou acidose, devido ao consumo de carnes, molhos, doces, produtos refinados etc.
  • Excesso de gordura circulante, ou hiperlipidemia (colesterol e triglicérides), proveniente das gorduras alimentares.
  • Hiperosmolaridade por dieta com teores muito altos de determinados compostos minerais, como sódio e cálcio (sal, leite, queijo etc.).
  • A reunião desses três fatores cria ambiente ideal para o acúmulo e a deposição de substâncias nocivas por todo o corpo. Dentro das artérias aparecem os ateromas; nos rins e na vesícula, os cálculos; nas articulações e músculos surgem condições físico-químicas ideais para o desenvolvimento de processos reumáticos.

Cólica da vesícula

Quando a vesícula se contrai fortemente, pode haver cólica, com muita dor. A causa de contrações espasmódicas pode ser uma refeição gordurosa, a ingestão de álcool, ou mesmo um forte trauma emocional. Um cálculo pontiagudo que irrite a superfície interna da vesícula pode desencadear a crise. Nas contrações, os cálculos podem ser empurrados pelo canal, ou colédoco, provocando obstrução e mais dor.

A interrupção do trânsito da bile para o intestino faz com que aumente o teor de certos pigmentos biliares no sangue, produzindo sintomas como amarele-cimento da parte branca dos olhos (esclerótica), urina escura e fezes claras.

A cólica pode começar de repente, como uma dor do lado direito, sob as costelas. E comum irradiar-se para a região do estômago e para as costas. Pode ser intensa a ponto de deixar o paciente contorcido. A região fica sensível, e a dor aumenta à mais leve palpação. Há geralmente forte enjôo e vômito. Quando há febre, pode ser indício de colecistite infecciosa. E preciso, em todos os casos, recorrer imediatamente a um médico, pois pode tratar-se de urgência.

Prevenção de Pedra na Vesícula

tabela-de-vitaminas

A prevenção dos distúrbios de vesícula, principalmente a formação de cálculos, se faz com dieta balanceada,saudável. Evitar alimentos gordurosos, frituras, massas e doces. Comer menos e mastigar mais.

Os obesos, cardíacos diabéticos muitas vezes portam esses distúrbios por causa de seus excessos alimentares. O mesmo podemos dizer dos portadores de doenças da vesícula; a culpa pode ser da gula.

Ervas: Remédios Caseiros para Pedra na Vesícula

Plantas amargas são de longa data usadas para “aliviar” problemas de vesícula: baldo, losna, taiuió, quássia, corqueja, jurubeba e alcachofra são alguns exemplos. Pode-se misturar uma dessas plantas com espinheira-santa e cavalinho e tomar uma a duas xícaras ao dia, aos goles.

A combinação indicada é losna com espinheira-santa, camomila e erva-doce. Deixar a losna de molho em água, macerada, por algumas horas. Preparar, à parte, um decocto com as outras ervas. Misturar e tomar uma ou duas xícaras ao dia, aos goles. Dosagem usualmente indicada: Uma colher, das de sopa, das plantas picadas para meio litro de água. Preparar na forma de decocção ou cozimento e coar.

Para combater a tendência à formação de cálculos recomenda-se o chá da raiz de dente-de-leão, que deve ser usado com regularidade, pelo menos uma ou duas xícaras ao dia. Duas colheres, das de sopa, da planta picada para meio litro de água. Preparar na forma de decocção ou cozimento e coar.

Para tratar cólicas biliares indica-se a seguinte mistura: raiz de dente-de-leão, hortelã, fumária e erva-cidreira. Tomar meia xícara do infuso, vagarosamente, cada duas ou três horas. Uma colher, das de sopa, das plantas picadas para 300m1 de água. Preparar na forma de decocção ou cozimento e coar.

Atenção: cólicas biliares podem indicar processo de abdome agudo cirúrgico, requerendo portanto imediata avaliação médica.


dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Leia também:




Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*