Remédios Caseiros para Cirrose Hepática

A cirrose hepática é uma doença que massacro o fígado, caracterizada por evolução em três etapas básicas: 1. Necrose ou morte das células do fígado. 2. Formação de “cicatrizes” (tecido fibroso, duro, inativo). 3. Regeneração de parte das células, formando nódulos, que prejudicam a circulação do sangue. Alguns pesquisadores consideram impróprio definir cirrose apenas como fibrose (“endurecimento”) do fígado, embora seja este o processo mais característico. Reina, portanto, certa controvérsia na separação dos conceitos de “cirrose” e “fibrose”. Apresentamos, além dos Remédios Caseiros para Cirrose Hepática, algumas dicas de dietas e tratamentos.

Que acontece com o fígado na cirrose?

A regeneração celular e o crescimento de tecido conjuntivo são entrecortados por mais episódios de necrose. Isso faz com que se formem nódulos, e o fígado apresente aspecto característico, granular. Os anatomopatologistas explicam que a cirrose produz alterações na “arquitetura do fígado”, ao passo que a fibrose, simplesmente, (como a que é produzida pela esquistossomose), preserva razoavelmente o desenho do órgão.

A formação de células novas, que .e agrupam em nódulos, é provavelnente a tentativa do órgão de se recstruturar. Mas essas novas formações

se agrupam de modo desorganizado, a ponto de não “vingarem”. Morrem, só para dor origem a novos grânulos. Criam sérios transtornos circulatórios. O fígado, se consegue escapar, nunca volta a ser o mesmo.

 

No começo do processo, as células hepáticas funcionais são pouco a pouco substituídas por tecido conjuntivo fibroso inativo, sofrendo também infiltração gordurosa de longa duração. No alcoólatra, pode ocorrer processo intermediário chamado hepatite alcoólica, marcado pela morte de células e conseqüente inflamação necrótica.

Remédios Caseiros para Cirrose Hepática

Causas

As causas são basicamente duas: alcoolismo e mó nutrição. Há casos de cirrose em crianças, devido à subnutrição severa.

O álcool afeta de modo direto e profundo o metabolismo hepático. No decurso de reações a que é submetido, deixa rastro de resíduos tóxicos como o acetaldeído. O funcionamento do fígado, vital, que deveria ser mantido intocável durante toda a vida, é perturbado ao extremo. Inicialmente pode aparecer a esteatose hepática, fase em que há vestígio de degeneração gordurosa.

Outra causa menos comum é a obstrução dos canais biliares (geralmente por cálculos), que produz secundariamente infecção, fibrose e cirrose.

Quaisquer fatores de agressão hepática podem trazer (em alguns casos) como conseqüência a cirrose. Por exemplo: hepatite, drogas, intoxicação por inseticidas, venenos químicos, infecções bacterionas, etc., que produzem necrose de células hepáticas, e ocasionam posterior fibrose, com evolução idêntica à da cirrose já descrita. Mas, desde que o fígado não tenho sido maciçamente afetado, há boa possibilidade de cura. Esta é a cirrose pós-necrótica.

Condições que mais raramente podem originar cirrose são a insuficênda cardíaca (cirrose cardíaca), certos defeitos no metabolismo do ferro (cirrose pigmentar) e a sífilis (cirrose sifilítica).

Sintomas da Cirrose 

Inicialmente pode não haver qualquer sintoma, o que torna esse mal particularmente insidioso. Ou os primeiros sintomas são facilmente confundidos com os de outros problemas comuns: digestão difícil, gases, às vezes pequenas he-

morragias nasais e discreto aumento do fígado. Depois vêm perda de apetite, cansaço, icterícia, dor abdominal, indigestão, edema (inchação), ascite (acúmulo de líquido no abdome), varizes rotas, tendência a sangramento e coma hepático. A barriga se distende e ficam bem visíveis as veias, principalmente em volta do umbigo. Também podem aparecer vasos sangüíneos no nariz, nas palmas das mãos e em outras partes do corpo, que ficam avermelhadas. Pode haver alterações nas características sexuais do homem, que adquire certos padrões femininos: diminuição dos testículos e aumento das mamas. Nos mulheres, há diminuição das mamas e alteração do ciclo menstrual.

Se o paciente cirrótico porta outra doença, o quadro pode se tornar particularmente complicado. Por exemplo, no caso de diabetes, a soma dos distúrbios conduz a complicações graves. Entre as complicações mais temidas estão as hemorragias digestivas (vômitos sanguinolentos e fezes escuras).

Confira algumas dietas e Remédios Caseiros para Cirrose Hepática:

Dietas e Remédios Caseiros para Cirrose

ervas-naturais-fitoterapia

Se descoberta e tratada antes das etapas finais, há relativas chances de melhora. O alcoólatra que deixa o álcool poderá melhorar o seu prognóstico.

  • O tratamento alimentar proposto consiste em dieta de desintoxicação branda, e dieta rica em frutas frescas e cereais integrais. As vezes os folhosos não são bem aceitos. Exemplo de dieta:
  • Desjejum; Suco de fruta, ou frutas picadas com flocos de cereais e um pouco de coalhada magra. Conforme aceitação, algumas amêndoas. Como variação, iogurte de leite de cabra (ou iogurte magro comum) com banana-maçã e mamão.
  • Almoço; Salada ou suco de cenoura crua com brotos e legumes cozidos. Arroz integral ou milho verde cozido. Feijões geralmente agravam a indigestão, mas pode-se usar um pouco do caldo, ou um pouco de grão-debico cozido. Pode-se, na medida da aceitação, usar tofu ou uma fatia pequena de ovo caipira bem cozido. Tortas assadas, bem leves, de recheio simples, como legumes, ajudam a abrir o apetite.
  • Jantar: Semelhante ao almoço ou desjejum, desde que mais leve.

Tratamentos Naturais 

A regra áurea da mastigação completa é vital aqui.

  • Em alguns casos, o paciente só poderá consumir pequeno volume de alimento por vez, sendo necessárias várias pequenas refeições. Sugerimos frutas nos intervalos, ou bolachas de arroz integral, ou ainda suco natural.
  • Conforme o caso, poderão ser necessários alguns dias de dieta de sucos (sucos de três em três horas, como suco de maçã, cenoura com salsão e laranja, separadamente). Cada caso terá sua indicação específica. Por causa da má nutrição geralmente associada a essa doença, o uso de suplementos como lêvedo de cerveja (de seis a nove comprimidos diários), amêndoas (de seis a doze por dia), geléia real (de 1 a 49 diários), clareia (indicação do fabricante), deverá ser adotado na medida da aceitação do doente.
  • Chás de picão, boldo-do-chile, alfavaca, losna, cavalinho, camomila, carqueja, mil-em-rama e dente-de-leão são indicados como úteis por favorecer a digestão, depurar o sangue e combater a icterícia. Tomar duas a três xícaras diárias de um chá misto de três ervas, aos goles. Uma colher, das de sopa, da mistura de ervas para meio litro de água. Ferver e coar. Variar semanalmente as ervas. Observar, entre uma e outra semana, descanso de dois dias, em que se toma bastante água. Seguir prescrição profissional.
  • Banhos vitais e aplicações diárias de argila proporcionam alívio, ajudandona maioria dos casos, salvo contra-indicação médica

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Leia também:




Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*