Remédios caseiros para Endometriose- Tratamento Natural.

A secretário de 28 anos já começava a se conformar com as dores fortes que sentia durante a menstruação. Parecia não haver solução à vista. Naquele mês, entretanto, o mal-estar passou do limite. Dores lombares, pélvicas e abdominais se somavam a um quadro de inchação, prisão de ventre e relações sexuais desconfortáveis. Nesse artigo falaremos Remédios caseiros para Endometriose e seu Tratamento Natural.

O médico acreditou, a princípio, tratar-se de infecção urinário. Mas só depois de passar por vários médicos e submeter-se a inúmeros exames, como a laparoscopia, a paciente tomou conhecimento da causa do seu sofrimento: endometriose. O laparoscó pio é um aparelho que se insere por incisão abdominal ou pélvica, com o objetivo de observar o estado dos órgãos e seus revestimentos.

Que é endometriose?

Doença relativamente comum, ataca mulheres em idade fértil. Não é muito fácil diagnosticar. O tecido que normalmente reveste o útero por dentro, formando o endométrio, se espalha por locais estranhos, proliferando-se pelo útero e outros órgãos da cavidade pélvica e abdominal.

O endométrio anômalo, assim espalhado por diferentes lugares do corpo, responde aos estímulos hormonais do período menstrual da mesma maneira que o endométrio normal, ocorrendo hipertrofia, sangramento e dores. Com o tempo surgem aderências, cicatrizes e inflamações.

Publicidade
Publicidade

O resultado são dores em pontos variáveis, que podem ser muito fortes, especialmente durante a menstruação. Suspeita-se que a endometriose possa levar também à infertilidade.
A gravidez diminui o risco de endometriose. Mulheres que nunca engravidaram ou que vêm a engravidar mais tarde, apresentam maior probabilidade de manifestar essa disfunção.

Como tratar?

O tratamento é mais fácil se o distúrbio for descoberto cedo, o que nem sempre acontece. A cirurgia pode ser a melhor ou única providência.

Opinião dos estudiosos da vida natural

Como se trata de aberração anatomopatológica, os naturistas interpretam a endometriose como conseqüência de desequilíbrios profundos, salientando-se alterações hormonais. Afirmam que agressões comuns e crônicas, como a dieta de má qualidade, com muita gordura e açúcar, somada ao uso de hormônios, contraceptivos e à suscetibilidade individual, fomentam o desenvolvimento dessa anomalia.

Estilo de vida e doenças da mulher moderna

O modo de vida da mulher de hoje é extremamente agressivo à sua estrutura naturalmente mais frágil. Além de aderir ao vício do fumo, a participação cada vez mais ativa no mercado de trabalho cria hábitos dietéticos que não diferem muito dos do homem, caracterizados por irregularidade, pressa, “lanches ligeiros” etc.
O hábito de fumar e a vida sedentária são hoje, lamentavelmente, uma constante entre as mulheres. Outrossim, distúrbios emocionais, que vão da ansiedade à depressão, incidem com frequência preocupante entre elas. A “fuga” habitual para as instabilidades emocionais é o consumo desregrado de doces, chocolates, massas etc., ou o uso de perigosos ansiolíticos e antidepressivos.

Obesidade e profundos desequilíbrios orgânicos e psíquicos são o elevado tributo pago pelas mulheres a esse modus vivendi. As defesas do organismo se enfraquecem, e as doenças peculiares ao sexo feminino atacam sem piedade.
• Vários estudiosos das terapias naturais enfatizam a relação entre hábitos dietéticos e distúrbios dos hormônios sexuais. Falam na homeosfasia química e hormonal sutilmente afetada pela dieta.
• Para começar, o consumo habitual de alimentos não-nutritivos (que chamamos pseudo-alimentos, junk food ou falsos alimentos), doces, gordurosos e salgados, desestabiliza o metabolismo, diminuindo a energia vital. Fazem com que a mulher se sinta indisposta, “empanturrada”, inchada. E consenso entre os naturopatas que a simples eliminação desses entulhos dietéticos proporciona bem-estar geral, prevenindo cólicas e distúrbios do sistema reprodutor.
• O uso de embutidos, carnes, aves e ovos de granja envolve risco muito badalado, que é o da ingestão de hormônios sintéticos, como o dietil-estilbestrol, usado indiscriminadamente na engorda dos animais. Esse hormônio traz conseqüências funestas para a saúde, pois interfere no delicado equilíbrio hormonal.
• Consuma mais frutas e vegetais frescos, bem higienizados. Faça refeições exclusivas de melão (não misturá-lo com nada).
• A cafeína, presente no café, guaraná, chocolate e certos refrigerantes, contribui para aumentar o desconforto no período menstrual, pois deixa a mulher mais nervosa. Também são contra-indicados o álcool, as conservas salgadas e as frituras.
• A alimentação moderna intoxica e congestiona o organismo, dificultando, na opinião dos naturopatas, o acesso de nutrientes a setores de atividade crítica, como as glândulas (dentre as glândulas, os ovários). O resultado é desequilíbrio. O delicadíssimo feedback de reações neuro-hormonais, químicas e biológicas do sistema reprodutor sai dos eixos. Por isso, além da

* Os suplementos nutricionais são úteis em muitos casos, mas a indicação e a dosagem individual devem ser estabelecidas por um profissional especializado.

mudança na dieta, é preciso suplementar a alimentação com vitaminas e minerais. Destacam-se a vitamina B. (piridoxina), o cálcio, o potássio e o magnésio.

Sugere-se o uso de nove a doze comprimidos diários de 500mg de lêvedo de cerveja, a que se acrescentam suplementações de 200 a 400m9 de cálcio, 100 a 200mg de magnésio e 20 a ó Omg de vitamina B.

Publicidade
Publicidade

Diários, durante uns quinze dias antes da menstruação. No primeiro mês de tratamento, sugere-se o uso ininterrupto dessas suplementações. Esses procedimentos, é claro, devem ser submetidos ao crivo médico, para individualização da dosagem.

remedios-caseiros-para-endometriose-tratamento-natural
• Segundo pesquisas realizadas pelo Dr. John M. Ellis, de Mt. Pleasant, Texas, e relatadas no seu livro Vitamin 86: The doctor’s report, o uso de vitamina B. demonstrou-se particularmente benéfico em casos de inchação no período pré-menstrual. Estudiosos sugerem que o uso de 50 a 1 00m diários de vitamina B6 no período pré-menstrual diminui notavelmente a tensão e a possibilidade de cólica e edema. Há também evidências de que esse procedimento diminui a incidência de acne pré-menstrual em adolescentes. A explicação para resultados tão favoráveis com o uso de altas doses de vitamina B. é que a menstruação levaria a grande perda desse nutriente.
• Pesquisas do Dr. Fredericks, da Universidade Fairligh Dickinson (New Jersey), com duzentas mulheres, mostraram que o consumo regular de levedura de cerveja, ligado ao adequado suprimento das necessidades de ferro e proteínas, diminui consideravelmente a incidência de distúrbios genitais e menstruais. Diminuiu também a ocorrência de cistos nos seios.
Em clínicas naturistas a desintoxicação, acompanhada de correta suplementação nutricional, faz verdadeiros milagres no sentido de corrigir distúrbios femininos.
Sugere-se a seguinte dieta de desintoxicação, mas não mudar radicalmente sua alimentação sem orientação profissional:
• Sete dias com a seguinte dieta:
• Desjejum: um dia só melão, a cada três horas, em que se mantém repouso. Ou laranjas (comer a parte branca da casca, rica em bioflavonoides, que previnem hemorragias menstruais). No terceiro dia, ingerir bebida alcalinizante

• Almoço: Salada de brotos (grãos germinados). Se quiser, utilize tomatinhos (daqueles pequenos, menos sujeitos ao tratamento com agrotóxicos). Abóbora ou arroz integral, vegetais cozidos (principalmente brócolis) e tofu. A partir do terceiro dia de dieta, acrescentar seis amêndoas doces.
• Jantar: frutas, como maçã, mamão, pêra, pêssego, ameixa, sementes de girassol (rica em vitamina B6) e coalhada magra.
Depois de sete dias, ir alternando, um dia de dieta normal naturista (ver capítulos 4 e 5, pág 31), outro dia de dieta de desintoxicação. Nos dias de dieta normal naturista, acrescentar três ovos de codorna cozidos e doze comprimidos diários de levedura de cerveja. Nos dias de dieta de
desintoxicação, usar suplementações, como esclarecido no tópico anterior. Se há anemia, acrescentar ferro (25mg), vitamina B12 (10 – óømcg) e ácido fólico (400mcg) na suplemenfação, conforme critério médico. O uso de dolomita (que contém sais de cálcio e magnésio) pode substituir o uso de suplementos desses dois minerais.

Plantas e outros recursos naturais*

• A cavalinho, com camomila e erva-cidreira (capim-limão), é referida como muito útil no combate ao mal-estar pré-menstrual, pois ajuda a desinchar e relaxar. Pode-se tomar uma, ou duas, xícaras diárias. Dosagem tradicional: Derramar meio litro de água fervente sobre duas colheres, das de sopa, das três plantas picadas. Tomar uma ou duas xícaras ao dia, divididas ao longo do dia.
• Ao se aproximar a menstruação, alguns terapeutas recomendam o uso do óleo de copaíba (geralmente uma cápsula duas ou três vezes ao dia, ou conforme indicação profissional) e duas xícaras diárias de chá de agoniada (ferver uma colher, das de sopa, em 300m1 de água e coar) com própolis (dez gotas em cada xícara). Os intestinos devem ser mantidos desimpedidos.
• O óleo de prímula é indicado no tratamento de várias disfunções do sistema reprodutor feminino: usualmente se indica uma cápsula três vezes ao dia, nos quinze dias que antecedem a menstruação. Observar orientação profissional.
• O dong quai é uma planta chinesa usada há séculos no tratamento de perturbações genitais femininas. E, contudo, difícil encontrar no mercado. Disponível, porém, em algumas casas de produtos naturais, vem sob a forma de composto, em cápsulas. A dose varia. Geralmente se indicam de três a seis cápsulas diárias, divididas ao longo do dia, juntamente com as refeições. Observar orientação profissional.

Geoterapia *

 

Fora do período menstrual, indicam-se cataplasmas pélvico-abdominais de argila (duas a três horas de aplicação). O uso dessa cataplasma no período menstrual é indicação controvertida, pelo que achamos prudente contra-indicar.
• Compressas locais com bolsas de água quente ajudam a aliviar dores. Indicam-se também banhos quentes de assento (água entre 40 e 46°C, durante uns cinco minutos).
• Saunas e massagens semanais são ótimas para relaxar e diminuir a tensão. Só tomar sauna com permissão médica.
• Caminhar descontraidamente todos os dias, praticando exercícios respiratórios.

Estas são sugestões naturais, não suprimem a avaliação medica.

Nesse artigo falamos Remédios caseiros para Endometriose- Tratamento Natural.

Imagem- dicasdesaude.blog

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Publicidade

Leia também:


Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


6 + 15 =