Remédios Caseiros para Febre Amarela- Tratamento Natural

 

remedios-caseiros-para-febre-amarela-tratamento-natural

A febre amarela é uma virose aguda, transmitida ao homem por um mosquito. Produz sintomas como: febre alta, icterícia, irregularidades nos batimentos cardíacos, proteinúria e tendência para hemorragias. Neste artigo falaremos sobre Remédios Caseiros para Febre Amarela- Tratamento Natural.

O mosquito transmissor

Muito semelhante ao mosquito comum, o mosquito transmissor da febre amarela, o Aedes aegypfi, é “ornamentado” e ataca tanto durante o dia como à noite.

Oswaldo Cruz e a febre amarela

Na virada do século XIX, Oswaldo Cruz era diretor da Saúde Pública. Naquela época as doenças infecciosas e parasitárias eram o drama da Medicina.

A febre amarela fazia inúmeras vítimas e atacava o Rio de Janeiro. Oswaldo Cruz, ciente de que o mosquito era o vetor, treinou uma equipe de saneadores para combatê-lo. Os soldados da saúde percorriam quintais, jardins, praças e até subiam nos telhados para remover tudo que facilitasse o acúmulo de água.

Publicidade

Os doentes eram imediatamente levados a um hospital de isolamento. A opinião pública não compreendeu bem essas providências, a ponto de insurgir-se judicialmente contra elas. A imprensa não poupava críticas aos “invasores de domicílio”. Mas Oswaldo Cruz venceu. Depois de alguns anos, conseguiu erradicar a doença da “Cidade Maravilhosa”.

Como se manifesta

Depois de picado, o paciente não sente nada por três a seis dias, que é o tempo de latência do vírus. Surge, então, forte dor nas costas (região lombar), que se espalha pelo abdome e pernas. Fica difícil andar.

Vem dor de cabeça forte a ponto de enlouquecer. Ocorrem calafrios, fotofobia (sensibilidade à luz), língua seca e áspera, febre muito alta, sede, insônia, agitação. Há muita náusea e vômitos. Estes sintomas agudos, muito intensos, duram de dois a três dias, passados os quais o paciente tem “melhora” notável, em que se sente relativamente bem.
Vem então a segunda fase.

O paciente tem sede intensa e dor forte no estômago, sinais que precedem o terrível vômito negro, ocasionado por hemorragia interna. Há hemorragias por todo o corpo. No útero, narinas e mesmo na pele podem surgir hemorragias. As fezes vêm misturadas com sangue escuro.

Os rins param subitamente de funcionar. A urina é rara ou nula. O vírus se aloja, nessa etapa, num de seus órgãos prediletos, o fígado, onde provoca profunda degeneração.

A pele fica amarela pelo derrame de bilirrubina no sangue (icterícia). Essa fase dura cerca de três dias. O paciente, é claro, fica profundamente fraco, e algumas vezes morre antes de uma semana, por causa de colapso cardíaco, convulsão ou coma, provocados por uremia, isto é, acúmulo de toxinas pela falência renal.

Quem tem sorte de superar a fase crítica consegue sobreviver. O vírus cessa seu ciclo, e a cura é espontânea. Cerca de 80% dos pacientes conseguem salvar-se.

Os vômitos tornam-se menos freqüentes, a febre diminui, e a urina se vai normalizando aos poucos. O que mais demora para sumir é a cor amarela da pele, e que dá nome à doença.

Publicidade

Uma vez curado, o paciente não mais terá febre amarela.

Há outras possibilidades de manifestação. Em casos extremos a morte vem rápida, mesmo no primeiro dia. Na forma abortiva não chegam a ocorrer os sintomas mais graves, como hemorragia e uremia. Há também uma forma leve, com sintomas amenos e cura rápida.
Não se conhece tratamento específico, senão amenizar o sofrimento mediante abordagem sintomática. Por isso enfatiza-se a prevenção, por meio da vacinação, combate ao mosquito e controle de áreas de risco. O paciente deve ser posto sob regime de isolamento, já que, a partir dele, os mosquitos podem disseminar a doença, criando inúmeras vítimas.
Observar, em todos os casos, orientação médica. Não se conhece tratamento específico além da prevenção vacinal.

• Manter o doente em repouso, numa dieta hidratante de sucos de frutas frescas sem açúcar, de três em três horas, durante o pico febril.

• Tradicionalmente se indica chá de alecrim, alfavaca, cavalinho, cabelo de milho, tanchagem, feno-grego e boldo-do-chile, misturados, de duas a três xícaras ao dia, luntamente com suco de limão e umas vinte gotas de solução de própolis. Uma colher, das de sopa, das ervas para cada 300m1 de água. Ferver e filtrar.

• No abdome, compressas de argila. Uma ou duas vezes ao dia, por duas horas.

Manifestação alérgica caracterizada por espirros, coriza (corrimento nasal), coceira e irritação nos olhos, lacrimejamento. Acredita-se que o alérgeno seja o pólen das flores. Por isso, manifesta-se principalmente em certas estações do ano, como primavera. Mais comum no hemisfério norte.

O tratamento é o mesmo indicado em alergia. Indica-se uma planta, a consolida (Symphytum officinalis), cujas folhas podem ser comidas como salada (duas ou três folhas frescas por dia). Há relatos de melhora dos sintomas da febre de feno com o uso dessa planta.

Nesse artigo falamos sobre Remédios Caseiros para Febre Amarela- Tratamento Natural.

Imagem- engeplus

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Publicidade

Leia também:


1 Comment

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*