Remédios Caseiros para Úlceras na Pele- Tratamento Natural

Úlceras crônicas de pele poderão exigir tratamento natural intensivo, de ação profunda, como o indicado em úlceras varicosas.

Em outras situações, é preciso averiguar a causa. Uma dieta semierudita (composta na maior parte por alimentos crus), associada à lavagem diária da ferida com chá concentrado de confrei com cavalinho, é a prescrição naturista geralmente instituída.

Apesar da persistência em aplicar os tratamentos prescritos, a ferida teimava em permanecer aberta. Era uma úlcera varicosa, localizada na perna, que já completava seu sétimo aniversário, e aumentava aos poucos.

De mau aspecto e mau cheiro, situava-se no centro de uma área visivelmente mal irrigada, de pele brilhosa, com coloração que variava do tom avermelhado ao preto. O Sr. Antônio, o paciente, já começava a irritar-se. Mas era inútil. A ferida continuava inalterada.

Publicidade

Certo dia, ouviu falar em “estilo de vida natural”, que oferecia alguma esperança para o seu caso. Persistente como era, resolveu tentar. Consultou um médico, que o orientou a adotar estilo de vida saudável e mudar a alimentação. Convenceu-se. Procedeu a uma dieta saudável e a tratamentos de longo prazo.

Logo no começo, percebeu profunda mudança em seu corpo. As primeiras reações não pareciam boas. Sentia-se fraco, indisposto. Mas logo o mal-estar inicial desapareceu, cedendo lugar a uma agradável sensação de leveza.

Perdeu, aliás, vários quilos (era obeso). Não foi fácil sacrificar hábitos alimentares acariciados. Nos primeiros meses, não notou muita alteração na ferida. Percebia, entretanto, que a circulação local parecia melhorar. Nesse artigo falaremos sobre Remédios Caseiros para Úlceras na Pele- Tratamento Natural.

Causas, segundo a visão ecológica

Podem surgir lesões nos vasos, em certas Alimentação e estilo de vida erra- regiões do corpo- Essas lesões se trados produzem intoxicação crônica no duzem por aterosclerose, varizes ou sangue.

Tratamento

O tratamento variará de caso para caso, motivo por que recomendamos consulta com um especialista. Mas, em linhas gerais, deve-se proceder, na opinião dos estudiosos das terapias naturais, a uma desintoxicação adequada, sem a qual, concordam os naturopatas, será impossível obter resultado favorável.

Os estudiosos da alimentação natural sugerem o seguinte:

1. Alternam-se um dia de dieta em que predominam caldos alcalinos de hortaliças, e outro dia em que predominam frutas. 1-lá dias em que ambos os elementos entram associados.

2. Chamamos “bebida alcalinizante” à bebida mista de sementes e hortaliças, como explicado adiante, muito usada na eliminação de resíduos do metabolismo e na alcalinização dos humores.

3. Para quem não suporta tais regimes, sugerem-se variações menos rigorosas.

Publicidade

4. Enfatiza-se que não se pode adotar o mesmo programa para todas as pessoas. Cada caso tem peculiaridades que devem ser cuidadosamente analisadas.

5. Um tratamento mais rigoroso requererá internação e acompanhamento profissional, pois exige inteira dedicação do paciente.

Como preparar a bebida alcalinizante

Deixar de molho durante a noite, em meio litro de água, uma colher, das de sopa, de linhaça, e duas colheres, das de sopa, de farelo de trigo. De manhã, bem cedo, escolher um ou mais legumes (pode-se variar). Dar preferência a legumes sem agrotóxicos.

Por exemplo: batata, beterraba, aipo, nabo, cenoura (com a casca muito bem lavada). Cozinhar por uns vinte minutos em 700 ml de água, com a casca (lavar e escovar bem essas hortaliças cruas). Podem-se usar uma batata média, uma cenoura e um nabo bem picados. Ou uma cenoura, um aipo e uma beterraba.

Variar conforme a disponibilidade. Separar apenas o líquido. Os legumes cozidos podem ser guardados na geladeira, para uso de quem não estiver em tratamento, no almoço. Misturar os dois líquidos, coados (o cozimento das hortaliças com o líquido contendo a linhaça e o farelo de trigo, filtrado).

Se estiver no tempo do frio, aquecer levemente (de preferência, em “banho-maria”) e tomar, vagarosamente, 250 ml dessa bebida.

remedios-caseiros-para-ulceras-na-pele-tratamento-natural

Suplementos nutricionais

Depois de um mês de desintoxicação, poderão ser necessárias 400 ou mais, de vitamina E ao dia, que também pode ser aplicada externamente, sob a forma de pomada, conforme critério médico.

Juntamente com a vitamina E, sugere-se usar a vitamina C. Um copo de suco fresco de acerola ao dia é suficiente para produzir bons resultados.

As dietas terapêuticas naturais são empregadas em dínicas naturistas e por medicinas tradicionais. Adote alimentação saudável, mas não mude radicalmente sua alimentação sem orientação profissional.

Os suplementos nutricionais são uteis em muitos casos mas a indicação e a dosagem individual devem ser estabelecidas por acrescentar também centelha asiática e equinácea já a partir do 150 dia (no rótulo há instruções sobre uso tradicional). Havendo dor de cabeça, suspender a centelha asiática.

Clisteres

Obter permissão médica para o emprego de clisteres. O uso excessivo de clisteres (ou lavagens intestinais) é contra-indicado, pois enfraquece a musculatura intestinal e pode afetar sensivelmente a flora.

Mas o uso racional desse método traz inigualáveis benefícios à saúde, pois auxilia na “limpeza” dos intestinos, que são as grandes “avenidas” da nutrição do corpo, geralmente cheias de “entulhos” e “obstáculos”, resíduos putrefatos acumulados ao longo de anos de funcionamento deficiente (resultado de uma alimentação de péssima qualidade e falta de exercícios físicos), somados a colônias de bilhões de bactérias nocivas à vida.

Na fase de transição para a dieta saudável, a lavagem intestinal ajuda a expelir detritos tóxicos e a restaurar a flora.

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que, no caso de sangramento ou de vestígios de sangue nas fezes (dejetos escuros, como “borra” de café), não se devem aplicar enemas, senão sob supervisão médica.

Alguém que adotava alimentação vulgar, de qualidade sofrível, e deseje desintoxicar-se através de um programa de alimentação saudável.

Observe o seguinte roteiro:

• Durante duas semanas, como já explicado, à noite, meio litro de lavagem com água morna (previamente fervida). Logo em seguida, para total esvaziamento do intestino, mais um clister de um litro de água morna.

• Durante três semanas, pequenos clisterizes de meio litro de água à temperatura ambiente (previamente fervida), de manhã ou à noite. Preferir água imantada.

• Numa terceira etapa, usar, dia sim, dia não, durante duas semanas, o mesmo enema de meio litro.

• Na penúltima semana, aplicar o enema (de meio litro) duas vezes, voltando a utilizá-lo sempre que necessário (quando o intestino “prender” um pouco, ou for necessária uma desintoxicação).

• Todos precisamos de uma desintoxicação periódica, de modo que seria benéfico repetir todo esse programa pelo menos uma ou duas vezes a cada ano.

• Quem, entretanto, conserva um plano ideal de vida e alimentação, praticando exercícios físicos regulares e mantendo o intestino em funcionamento ideal (o que é raro nos dias de hoje), certamente não precisará de enemas,

• O tratamento fitoterápico deve ser orientado por um especialista. fitar lavar externamente a ferida, usam-se, tradicionalmente, várias plantas, como açoita-cavalo, cardo-santo, carobinha, cavalinho, eucalipto, manjerona, frevo-cheiroso (chá concentrado, filtrado, frio). A seguir, algumas indicações tradicionais de plantas:

• Calêndula – Socar as folhas e as flores (bem limpas), até obter uma pasta, que se aplica diretamente, ou entre dois panos, sobre a ferida.

• Cavalinho – Lavar o local com chá de cavalinho.

• Confrei – Uma antiga publicação do British Medical Journal (8 de junho de 1912) conto o interessante caso de um senhor de 82 anos com arteriosclerose acentuada e outros problemas de saúde, que produziram, como complicação, uma ulceração no pé esquerdo, tão grave a ponto de expor os ossos. O paciente foi mandado para casa para morrer. Diz o articulista que ele passou a ser tratado com fomentos (planta cozido) à base de raiz de confrei, aplicados a cada quatro horas. A reação foi rápida. Dentro de quatro meses, a ulceração estava em fase de cicatrização! Como preparar: Ferver, por meia hora, uns 250m1 de água e 40g (cerca de cinco colheres, das de sopa) de raiz pulverizada de confrei. Deixar esfriar, coar e aplicar no local com um pano bem limpo. O confrei pode ser ainda usado na forma de pomada caseira: mistura-se pequena quantidade do cozimento concentrado de confrei com mel e óleo de germe de trigo. Aplica-se topicamente.

*Erva-moura – Aplicar as folhas frescas (bem limpas) maceradas sobre feridas e úlceras.

• Espinheira-santa – Aplicar as folhas frescas (bem limpas) maceradas.

• Mil-folhas (ou mil-em-rama) – Conta antiga lenda grega que um centauro teria usado essa planta para tratar uma ferida no herói Aquiles, que se restabeleceu completamente. Por isso, seu nome científico é Achillea millefolium (Achillea vem de Aquiles). Hoje sabe-se que possui propriedades cicatrizantes. Contra feridas, lavar o local com o chá concentrado das folhas e das flores, duas ou três vezes ao dia, e aplicar compressas com as folhas frescas (bem lavadas) trituradas, ou as flores secas moídas.

• Saião – Aplicar topicamente o sumo das folhas.

Saião (Kalanchoe brasitiensis)

É tradicionalmente indicado para combater afta, calos, frieiras, micoses, picadas de insetos, verrugas etc.

Modo de usar:

Aplicar no local o sumo das folhas.

Nesse artigo falamos sobre Remédios Caseiros para Úlceras na Pele- Tratamento Natural.

Imagem- souvegetariano.com

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Publicidade

Leia também:


Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*