O que é Fibroma, quais seus Riscos, Tratamentos e Sintomas

 

o-que-e-fibroma-quais-seus-riscos-tratamentos-e-sintomas

Solteirona aos 38 anos, Maria já se acostumara à sua vida solitária. Funcionária pública, desfrutava de razoável estabilidade financeira.

Sua saúde geral era boa. Algum tempo depois, porém, começaram a aparecer sinais que alertavam para um possível problema ginecológico.

Sentia “peso” no baixo-ventre, acompanhado de dores intermitentes. No período menstrual, perdia mais sangue do que o normal.

Absteve-se, a princípio, de ir ao médico. Durante meses, o problema manteve-se estável, até que o sangramento começou a aumentar.Sentia-se indisposta.

Decidiu, finalmente consultar-se com uma ginecologista, que, logo ao primeiro exame, constatou a presença de enorme miamo pediculado subseroso já a ponto de descer ao colo do útero.

Indicou-se cirurgia, relativamente simples, livrando Maria do miamo, que a esta altura já lhe ocasionava anemia. Nesse artigo falaremos sobre O que é Fibroma, quais seus Riscos, Tratamentos e Sintomas.

O que é Fibroma, quais seus Riscos, Tratamentos e Sintomas

Fibroma é um tumor benigno que pode crescer em qualquer lugar onde haja tecido conjuntivo. Muito comum no útero, onde recebe também a denominação de fibromioma, cresce nas paredes musculares desse órgão, no seu interior ou projetando-se para fora.

Desenvolve-se a partir das fibras musculares lisas do útero, sendo por isso mais frequentemente chamado miamo (mio, músculo; amo, tumor).

Mas verificam-se em sua constituição fibras colágenas e tecido conjuntivo, o que lhe dá aspecto fibroso (daí se chamar também fibroma).

Os fibromas do útero:

vulva

Pode haver vários tumores pequenos ou médios espalhados pela parede uterina (útero poli miomatoso), ou apenas um grande tumor, dentro ou fora do órgão.

Há casos em que os fibromas são tão grandes que simulam gravidez.

Se comprimem o útero contra órgãos vizinhos, podem produzir dor, desconforto, infertilidade, gravidez de risco, alterações na menstruação, hemorragias que não param e maior facilidade de infecções. A cirurgia pode ser necessária no caso de grandes fibromiomas.

Quando o útero está muito afetado, resultando grande sofrimento para a mulher, alguns médicos optam pela histerectomia, ou remoção cirúrgica do útero. Na maioria das vezes, porém, essa providência poderá ser evitada.

Quando e por que aparecem fibromas (ou miomas) no útero?

A incidência de fibromas é maior em mulheres que nunca tiveram filhos, principalmente entre 35 e 40 anos, mas podem surgir em qualquer circunstância.

Uma das causas mais estudadas é o aumento da produção de estrogênio pelo ovário (hiperestrogenismo).

Verificam-se alterações no ciclo menstrual, com diminuição de outro hormônio, a progesterona, o que dificulta o fenômeno de ovulação e gravidez. Acredita-se também que a predisposição hereditária interfira.

Quando se somam os dois fatores, está criada a situação ideal para o surgimento de miamos.
Os naturopatas ainda acrescentam terceira causa, que, no seu entender, é a mais importante: o estilo de vida e a dieta da mulher moderna.

O consumo habitual de açúcar e gordura animal, e a deficiência crônica de certos oligoelementos (nutrientes encontrados em quantidades muito pequenas em alimentos como cereais integrais e oleaginosas), indispensáveis à homeostasia hormonal, é considerado pelos naturopatas o “passaporte” dos miamos.

Os produtos de origem animal contêm teores desconhecidos de hormônios sintéticos, que predisporiam ao surgimento de miamos, na sua opinião.

Três localizações de mioma

Há três tipos básicos de miamo, quanto à localização: submucosos, intramurais e subserosos. Os submucosos crescem logo abaixo da mucosa e provocam saliências que deformam o útero por dentro.

Os intramurais estão dentro da parede uterina e, conforme seu tamanho, são também deformantes da cavidade.

Já os subserosos salientam-se da superfície do órgão, podendo comprimir órgãos vizinhos, como bexiga, ovário ou reto, originando sintomas característicos.

Sintomas

Muitos vezes os miamos não dão qualquer sinal de sua presença, não representando incômodo. São descobertos pelo ginecologista, ao toque vaginal, ou através de ultra-som.

Há, por outro lado, miamos muito incômodos, que produzem hemorragias irregulares, corrimentos, sensação de peso e dor.

As vezes há dor no ato sexual, e/ou no período menstrual. Há casos em que as hemorragias são tão sérias que produzem anemia.

Miamos subserosos muito grandes podem às vezes “descer” pelo colo do útero e ser expelidos pela vagina. E o “parto do mioma”.

Depois da menopausa cessa a ação do estrogênio, não surgindo mais miamos. Os que existem tendem a diminuir e até desaparecer.

Com a reposição hormonal e em certas situações atípicas, contudo, esse quadro pode mudar.

Nesse artigo falamos sobre O que é Fibroma, quais seus Riscos, Tratamentos e Sintomas.

Imagem-  choosehealthylife.com

dicas Dica Extra: Como Curar Doenças de Forma Natural

Descubra como PREVENIR e CURAR doenças através de métodos naturais e alimentos simples. Descubra o real PODER DE CURA PELA NATUREZA - Clique Aqui

Leia também:




Deixe um Comentário

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*