Piroxicam Faz Mal? – Veja Efeitos Colaterais e Alternativas Naturais

Piroxicam faz mal

Saber se o Piroxicam faz mal é a dúvida de muitas pessoas que precisam ingerir esse medicamento conhecido por ser genérico do Feldene, mas que temem os possíveis efeitos colaterais. Para esclarecer todas as dúvidas com relação ao uso desse remédio, confira nosso artigo.

Piroxicam faz mal

 

Afinal, o Piroxicam faz mal?

Sim. Embora esse medicamento seja indicado para o tratamento de diversas doenças, assim como a maioria dos anti-inflamatórios não esteroides e analgésicos, ele apresenta várias reações no organismo. De forma geral, o Piroxicam é indicado para tratamento de:

⦁ Osteoartrite (danos e lesões nas juntas);
⦁ Artrite reumatoide;
⦁ Rigidez ocasionada por artrite na coluna vertebral (espondilite anquilosante);
⦁ Problemas musculoesqueléticos agudos (conhecidos por atingir músculos, tendões e ligamentos);
⦁ Dores em geral ocasionadas por lesões;
⦁ Quadros avançados de gota (ocorrência de artrite associada à presença de cristais de ácido úrico nas articulações e juntas);
⦁ Dores pós-operatórias;
⦁ Cólicas menstruais.


Vale ressaltar que a maioria dos médicos, antes de prescrever esse medicamento, recomendam outras alternativas de anti-inflamatórios e analgésicos, já que o Piroxicam faz mal e provoca várias reações. Além disso, no caso de doenças que requerem tratamento prolongado, é necessário recorrer também a outros tipos de medicamentos para que o tratamento seja completo e assertivo, melhorando a saúde e qualidade de vida do paciente.

Quais são os efeitos colaterais do Piroxicam?

Para afirmar que o Piroxicam faz mal, é importante conhecer os possíveis efeitos colaterais do medicamento, sendo que eles variam de acordo com o quadro clínico do paciente e condições gerais do organismo. Esses efeitos colaterais são:

– Aumento da pressão arterial e palpitações cardíacas;
– Aumento da incidência de reações alérgicas;
– Alterações em exames de sangue referentes à contagem de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas, acarretando maior risco de quadros anêmicos;
– Redução do apetite;
– Náuseas e/ou vômito;
– Maior retenção de líquidos;
– Mudanças de humor;
– Insônia;
Quadros depressivos;
– Dores de cabeça;
– Confusão mental;
– Alterações referentes à quantidade de açúcar no sangue;
– Sensação de formigamento;
– Vertigem e desconforto visual (possível sensação de desmaio);
– Sonolência excessiva;
– Inchaço nos olhos;
– Aumento dos riscos quanto à ocorrência de meningite asséptica;
– Presença de inflamação na parede de um vaso sanguíneo (vasculite);
– Zumbido no ouvido;
– Dificuldade para respirar;
– Aftas;
– Hemorragia nasal;
– Dores abdominais;
– Diarreia;
– Prisão de ventre;
– Gastrite;
– Úlceras estomacais;
– Sangramentos gastrintestinais;
– Aumento do risco quanto à ocorrência de hepatite;
– Inflamações pancreáticas;
– Pele com coloração amarelada (icterícia);
– Redução (reversível) da fertilidade feminina;
– Alterações do peso;
– Alterações renais (com aumento do risco quanto à ocorrência de infecções no aparelho urinário).

Obs.: pacientes idosos requerem ainda mais atenção médica antes de fazer uso desse medicamento, pois o Piroxicam faz mal em virtude do organismo naturalmente mais frágil das pessoas com maior idade. Devido a esses possíveis efeitos colaterais, todas as pessoas, antes de iniciarem o tratamento com Piroxicam, devem realizar exames laboratoriais, especialmente de sangue.

Tais exames devem ser realizados também ao final do tratamento, mensurando principalmente possíveis alterações que podem ocorrer no fígado e nos rins.


Gestantes, mulheres que estão amamentando, pessoas que sofrem de algum tipo de doença e/ou que façam uso de medicamentos contínuos deverão obrigatoriamente informar tais condições ao médico antes de iniciar o tratamento com esse medicamento, já que nesses casos os efeitos colaterais são perigosos e o paciente não deverá tomar o medicamento em hipótese alguma.

Alternativas naturais mais indicadas

 

Piroxicam faz mal

 

Além de saber que o Piroxicam faz mal, é imprescindível ficar por dentro de algumas alternativas naturais quanto ao tratamento das doenças mencionadas anteriormente. Com isso, é possível preveni-las ao utilizar um tratamento complementar, evitando o uso excessivo desse e de outros medicamentos com efeito anti-inflamatório e analgésico.


Tratamentos naturais para doenças reumáticas e dores causadas por inflamações

Com relação ao tratamento natural das doenças reumáticas, o mais importante é utilizar remédios caseiros que previnam e aliviem as inflamações, causa primeira das dores e inchaço nas articulações. Entre os remédios caseiros mais indicados neste caso, estão:

⦁ Chá de gengibre;
⦁ Massagens com produtos à base de arnica;
⦁ Banhos com infusão de sálvia;
Chá de eucalipto com mel;
⦁ Banhos com infusão de folhas de eucalipto;
⦁ Chá de camomila com mel;
⦁ Banhos com sal grosso e infusão de camomila;
Chá de alecrim;
⦁ Chá de gengibre com limão;
Chá de cavalinha;
⦁ Chá de gengibre com cravo-da-índia;
⦁ Leite de coco morno com açafrão-da-terra (cúrcuma);

Alimentos que combatem inflamações

Além de saber que o Piroxicam faz mal e ficar por dentro dos remédios caseiros que aliviam as dores e inchaço nas articulações, inserir no cardápio diário alimentos que combatam as inflamações é uma excelente alternativa para o tratamento das doenças reumáticas e demais condições inflamatórias do organismo. Os alimentos mais recomendados são:

Verduras e legumes

– Pimentão vermelho;
– Brócolis;
– Cebola;
– Abóbora;
– Tomate;
– Beterraba;
– Rúcula;
– Espinafre;
– Manjericão;
– Batata doce roxa.

Frutas

– Limão;
– Abacate;
– Maçã;
– Uva;
– Abacaxi;
– Coco;
– Manga;
– Caju;
– Guaraná;
– Açaí.

Cereais

– Feijão;
– Lentilha;
– Aveia;
– Centeio;
– Cevada;
– Amendoim;
– Cereais de milho;
– Soja;
– Arroz (integral, vermelho ou preto).

Temperos

– Pimenta vermelha;
– Alho;
– Gengibre;
– Orégano;
– Alecrim;
– Sálvia;
– Açafrão-da-terra;
– Cravo-da-índia;
– Cravo;
– Canela.

Quem sofre de problemas inflamatórios crônicos deve reduzir drasticamente o consumo de bebidas alcoólicas, refrigerantes, chá-mate, energéticos e café, optando por bebidas mais saudáveis como água de coco, chás e sucos naturais. Outra medida importante é beber 2 litros de água todos os dias, já que a hidratação do corpo é fundamental para combater os processos inflamatórios, pois em excesso e ainda sem a devida hidratação o Piroxicam faz mal além da conta.

Tratamentos naturais para cólicas menstruais

Com relação aos remédios caseiros mais indicados para quem sofre de cólicas menstruais constantemente, eles são:


Chá de camomila;
– Chá de erva-doce;
Chá de hortelã;
– Chá de lavanda;
Chá de calêndula;
Chá de gengibre;
Chá de artemísia;
– Chá de alfavaca.

Além de essas informações demonstrarem que o Piroxicam faz mal (assim como a maioria dos anti-inflamatórios e analgésicos quando ingeridos em excesso), elas ressaltam que a saúde do corpo pode ser melhorada com simples mudanças de hábito.

Vale frisar que o uso desses remédios caseiros não elimina a necessidade de seguir à risca o tratamento médico prescrito conforme caso de cada paciente. Por mais que o Piroxicam faz mal, é um medicamento indispensável na maioria dos casos no que diz respeito às doenças que são tratadas por ele.

Imagens: tuasaude.com / livemint.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


quatro × três =